Família Roesler – Parte III

Citando Josef Blau, Vasconcellos e Pfeiffer afirmam que Johann Rössler era um homem bonito e elegante, que “andava sempre bem vestido e cuidadoso com a sua aparência” (PFEIFFER, 1991, p. 325). Várias vezes Rössler teria tentado conseguir uma vaga de Conselheiro Municipal, mas sem obter sucesso.

Em 27.08.1884, o então presidente da Província de Santa Catarina, Francisco da Gama Rosa, assinou o processo de naturalização de Johann Rössler, que então passava a ser considerado oficialmente um cidadão brasileiro. Esse documento, no entanto, o qualifica como súdito alemão, quando, na verdade, era austríaco, posto que a Boêmia, àquela época, fazia parte do Império Austro-húngaro.

Os cinco filhos de Johann tiveram que ficar sob sua inteira responsabilidade quando, às 3h do dia 23 ou 24.09.1893, ocorreu o prematuro falecimento de Amalie Preussler, vítima de tísica, contando com apenas 39 anos. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Católico da Estrada dos Bugres, onde a família morava. Em 1956, foi transladado para o Cemitério Municipal, no mesmo túmulo de seu marido. Seu neto Otto Roesler Filho, presente na ocasião, disse ter ficado “impressionado com o fato de a ossatura de Amalie Preussler ser de compleição grande e forte” (TELMA, 2010, p. 1). 

Terminava, dessa forma, a história do romance iniciado ainda em alto-mar. Em janeiro de 1894, Johann Rössler contraiu segundas núpcias com a também viúva Franziska Augusta Mühlbauer – e não Kohlbeck, como apontado na obra de Vasconcellos e Pfeiffer. O casamento civil dos dois foi oficializado apenas em 02.02.1895. Franziska havia nascido em Flecken ou Rothenbaum, na Boêmia, no dia 24.06.1867. Veio ao Brasil em 1876, a bordo do Humboldt, acompanhado dos pais Michael Mühlbauer e Anna Maria Kordig.

Em São Bento do Sul, Franziska casou-se no dia 05.09.1883 com Anton Augustin, nascido e batizado em Hammern, na Boêmia, filho de Josef Augustin e Anna Maria Modl, com quem veio ao Brasil a bordo do mesmo navio. O casal passou a morar na Estrada das Neves e teve, entre os filhos que chegaram à idade adulta, Catharina, que se casaria com Eduardo Pscheidt, e Francisca, casada com Otto Zschoerper. Anton Augustin faleceu aos 28 anos no dia 10.11.1890, vítima de desastre.

Era essa, até então, a história familiar de Franziska, que aceitou se casar novamente, dessa vez com Johann Rössler, o qual, como visto, já contava com cinco filhos de sua falecida esposa. Dessa segunda união de Johann nasceram mais quatro filhos: Bertha, nascida no dia 20.07.1895; Júlia, nascida no dia 13.06.1897; João, nascido no dia 20.04.1900; e Emília, nascida no dia 15.11.1904.

Leia também:

Parte I

Parte II

4 pensamentos sobre “Família Roesler – Parte III

  1. Pingback: Família Roeser – Parte IV « São Bento no Passado

  2. JOANETE regina Resler, filha de francisco Resler e Elsa Piazza resler, estudante Licenciatura de Artes Visuais, faz parte da família Resler – artista plástica . Premiada no Quinto Salão de Artes da Cidade das Artes- Campus 8, neta de Leopodo Resler e Albina Finimundi Resler.
    Gostei de saber da pesquisa sobre os nossos antecedentes.

  3. Gostei de saber informações sobre os nossos antecedentes, enviem informações , caso a tiverem.

  4. Parabéns trabalho de busca em campo sobre a família Roesler- Resler.
    Verifiquem Cartórios com estes sobrenome.
    Informo que meu pai, Francisco Resler (83 anos) é o último descendente vivo da Família Resler – o pai dele chamava-se Leopoldo Resler e a mãe Albina Fininundi. -Mora em Caxias do Sul

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s