Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Monich’

Essa é uma lista das famílias protestantes que habitavam a região de São Bento do Sul antes de 1900, feita com base em especialmente nos próprios registros da Igreja Luterana da cidade, mas também nos registros civis e em outras fontes diversas. São famílias que imigraram da Pomerânia, da Saxônia, da Silésia e de várias regiões da Prússia em que o luteranismo predominava. Percebe-se uma maior concentração na Estrada da Serra e ao longo da Estrada Dona Francisca, além do próprio centro de São Bento do Sul.

É provável que ainda estejam faltando nomes, que serão acrescentados conforme forem descobertos. Existe o caso de nomes que aparecem em mais de um lugar, o que sugere que tenham morado em ambos. A própria família Bollmann, bastante conhecida, foi antes moradora da Bismarckstrasse. Também lá morava a família de Friedrich Wilhelm Labanz, uma das duas famílias protestantes das quais descendo. A outra é a família de Karl Friedrich Wilhelm Giese, morador do centro.

A lista também é útil para verificar o nome completo de personagens locais, pois em geral os protestantes tinham ao menos dois nomes além do sobrenome. Casos de famílias mistas merecem ser analisados especificamente. Eis os nomes e suas respectivas moradias:

Banhadostrasse: Johann August Wilhelm Lüpke

Bechelbronn: August Michler, Ernst Julius Brunnquell, Ernst Friedrich Ludwig Fehlow, Ernst Kleinschmidt, Franz Gustav Mühlmann, Gustav Hoffmann, Karl August Müller, Karl August Ernst Kardauke, Karl Kardauke (pai), Paul Christian Heyse, Paul Heyse II

Bismarckstrasse: Albert Gustav Witt, August Friedrich Wilhelm Bollmann, August Kötzler, Ernst Friedrich Ludwig Fehlow, Franz Greinert, Friedrich Köne, Friedrich Wilhelm Labanz, Karl August Benjamin Kötzler,

Bugrestrasse: Albert Beuter, August Schade, Ferdinand Brand, Hermann Heinrich Echterhoff, Johann Hansen, Julius Hermann Brand, Karl Brand, Paul Brand

Campo Alegre: August Wolter, Franz Gustav Mühlmann, Gustav Friedrich Wilhelm Reinhardt, Johann Peter Reinhardt, Louis Buchmann, Paul August Rudolf Reusing, Wilhelm Müller, Wilhelm Pfeiffer

Campo São Miguel: Karl Robert Leichsering

Lençol: Friedrich Johann August Wiese, Gustav König, Hermann Neitzke, Louis Ritzmann, Matthias Meyer, Robert Morrissen, Wilhelm Hettwer, Wilhelm Reddin

Mato Preto: Joseph Reichel, Rudolf Nennemann

Oxford: Albert Mallon, August Wolter, Christian Schlüter, Christian Orth, Christopher Wöhlk, Claus Maahs, Ernst Robert Otto Hannemann, Friedrich Henning, Georg Schlemm, Hermann Henning, Hermann Koch, Hermann Schröder, Karl Friedrich Parucker, Jakob Dreher, Julius Hoffmann, Leonard Meister, Leopold Meister, Louis Wolf, Otto Kaesemodel, Paul Friedrich Parucker, Peter Jürgensen Söbye, Theodor Morgenstern, Wilhelm Zimmer

Rionegrostrasse: Hermann Karl Henning, Karl Ferdinand Baum

Rio Preso: Ludwig Rudnick

São Bento: Adolf Sabrowsky, Albert Kramer, Albert Krause, Amandus Jürgensen, Anton König, Arnold Weinert, August Friedrich Wilhelm Bollmann, August Weber, Christian Wilhelm August Heeren, Daniel Köhler, Eduard Ulrich Ulrichsen, Ernst Mendel, Felix Heinrich Paul Baumann, Franz Engel, Franz Jacob Kim, Friedrich Hansen, Friedrich Lutz, Friedrich Moritz Richter, Friedrich Schulz, Friedrich Wilhelm Rathunde, Gustav Anton König, Gustav Kopp, Hans Friedrich Richard Monich, Hans Hansen, Heinrich Gotthard Kaesemodel, Herbert Langer, Hermann Hille, Hermann Johann August Knop, Hermann Wilhelm Gustav Emil Schade, Hugo Langer, Karl Bruno Ryssel, Jakob Heinrich Steinbock, Johann Heinrich Husmann, Johann Herbst, Johann Josef Schönfelder, Karl August Wilhelm Fertig, Karl Brock, Karl Friedrich Wilhelm Giese, Karl Heinrich Reusing, Karl Martin Engel, Karl Heinrich Mrosk, Karl Rudolph Uhlig, Louis Dietrich, Otto Bernhard von Krause, Otto Jung, Otto Svenson, Paul Zschörper, Peter Rudolf Klaumann, Richard Brand, Theodor Boettner (pastor), Theodor Emil Hermann, Wilhelm Friedrich Seiffer, Wilhelm Hackbarth, Wilhelm Quast (pastor).

Saraivastrasse: Friedrich Gorgas

Serrastrasse/Estrada Dona Francisca: Adolf Mielke, Albert Mallon, Albert Schröder, Albrecht Malschitzky, August Günther, August Michael Ruske, August Natzke, August Heinrich Schröder, August Wagner, August Wolter, Christian Buch, Daniel Abraham, Ernst Friedrich Ludwig Fehlow, Ernst Roberto Otto Hannemann, Ferdinand Worrel, Franz Christian Reichwald, Franz Selke, Franz Wilhelm Rudnick, Friedrich Albert Ludwig Panneitz, Friedrich August Wilhelm Schneider, Friedrich Heinrich Neumann, Friedrich Lietz, Friedrich Neubauer, Friedrich Wilhelm Grund, Friedrich Wilhelm Müller, Georg Adolf Thomsen, Gottlieb Ludwig Eichendorf, Gottlieb Neubauer, Gustav Ziebarth, Heinrich Ferdinand Selke, Heinrich Friedrich Franz, Heinrich Neubauer, Heinrich Sprotte, Hermann Gottlieb Heinrich Lietz, Hermann Koch, Johann Friedrich Samuel Heiden, Johann Friedrich Wilhelm Redel, Johann Scholze, Joseph Reichel, Julius Ratzke, Karl Albert Ferdinand Schneider, Karl August Richter, Karl August Wagner, Karl Heiden, Karl Julius Müller, Karl Panneitz, Karl Paul, Karl Rothsal, Leopold Rudnick, Ludwig Paul, Ludwig Rudnick, Ludwig Selke, Ludwig Wilhelm Neumann, Maximilian Wagner, Michael Friedrich Ferdinand Lietz, Oskar Ammon, Otto Franz Phillipp Bauscher, Otto Robert Hertl, Otto Rudnick, Robert Eduard Worrel, Rudolf Panneitz, Theodor Sill, Victor Greipel, Wilhelm Christian Priebe, Wilhelm Greffin, Wilhelm Hermann Rudnick, Wilhelm Hümmelgen, Wilhelm Ludwig Röpke, Wilhelm Ludwig Rudnick, Wilhelm Neumann, Wilhelm Schröder.

Wunderwaldstrasse: August Hackbarth, August Leffke, Ernst Ludwig Strauss, Friedrich Hackbarth, Friedrich Ziebarth, Gustav Reinhardt, Heinrich Marschalk, Hermann Blödorn, Hermann Julius Gatz, Karl Bendlin, Karl Wilhelm Berthold Franz, Johann Slopianka, Wilhelm Radoll.

Moradia ainda desconhecida: August Ferdinand Gottfried Kobs, Eduard von Grafenrieth, Friedrich Bernhard Otto Seeling, Gustav Höpfner

Read Full Post »

Esse é o início do título Treml, umas das famílias estudadas na minha “Genealogia Boêmia de São Bento do Sul”, ainda inédita. Se você for membro da família Treml, entre em contato para trocarmos informações e ter seu nome incluído no trabalho.

TREML

JAKOB TREMLoperário e carpinteiro, nascido em Flecken, na Boêmia, no dia 28.08.1842, filho de outro Jakob Treml e de Barbara Bachmeier, filha de Georg Bachmeier. Casou-se em Rothenbaum em janeiro de 1869 com Maria Böhm, natural de Plöss, filha de Josef Böhm e Maria Rank, com quem imigrou de Flecken ao Brasil a bordo do Humboldt, que chegou ao porto de São Francisco do Sul no dia 11.06.1876. Recebeu um lote colonial na Estrada Rio Negro. Faleceu em São Bento do Sul, na casa de seu filho Antônio Treml, no dia 11.03.1924. Maria faleceu na mesma casa no dia 23.04.1937, aos 92 anos, tendo sido sepultada no Cemitério Municipal. Ele e sua esposa tiveram:

 1.1 Josef Treml § 1.º

 1.2 Barbara Treml § 2.º

 1.3 Jacob Treml § 3.º

 1.4 Antônio Treml § 4.º

 1.5 Maria Treml § 5.º

 1.6 Francisca Treml § 6.º

 1.7 Barbara Treml § 7.º

1.8 João Treml § 8.º

1.9 Thereza Treml § 9.º

§ 1.º

1.1 Josef Treml, nascido em Flecken no dia 20.01.1871 e batizado em Rothenbaum. Casou-se em São Bento do Sul aos 22 anos no dia 01.06.1892 com Thereza Hien, nascida aos 11.11.1871, nascida e batizada em Plöss, filha dos imigrantes Georg Hien e Therezia Speckl. Josef faleceu no dia 27.12.1940 e Thereza aos 15.05.1943, tendo sido ambos sepultados no Cemitério Municipal da cidade. Pais de ao menos:

…………………..2.1 Thereza Treml, casada em São Bento do Sul aos 22 anos no dia 25.04.1917 com Carlos Pscheidt, de 23 anos, filho de Benedikt Pscheidt e Franziska Lobermeyer, neto paterno de Wenzel Pscheidt e Magdalena Zipperer, e neto materno de Georg Lobermeyer e Barbara Grossl. Já viúvo, Carlos faleceu aos 13.11.1934. Tiveram geração conforme o título Pscheidt.

…………………..2.2 Miguel Treml, sapateiro, nascido em São Bento do Sul aos 13.01.1898. Foi casado na mesma cidade no dia 29.07.1921 com Emma Maros, doméstica, nascida em São Bento do Sul aos 10.12.1901, filha de Josef e Emma Maros. Miguel residia à Rua Capitão Osmar Romão da Silva e faleceu no dia 21.03.1975, tendo sido sepultado no Cemitério Municipal da cidade. Ele e sua esposa tiveram:

………………………………3.1 Theolinda Treml, nascida em São Bento do Sul aos 26.02.1921.

……………………………..3.2 Erna Treml, com 49 anos em 1975.

……………………………..3.3 Arnaldo Treml, operário, nascido aos 19.02.1928, em São Bento do Sul. Casou-se na mesma cidade no dia 17.11.1951, quando residia na Estrada das Neves, com Sonja Blunk, operária, nascida em Corupá no dia 17.01.1927, residente à Rua Barão do Rio Branco, em São Bento do Sul, filha de Guilherme e Frieda Blunk.

…………………………….3.4 Lotário Edmundo Treml, auxiliar de escritório, nascido em São Bento do Sul aos 28.10.1929. Foi casado com Dalva Servina Monich, doméstica, nascida no dia 07.10.1931, filha de Willybald Monich e Anna Maria Selke, neta paterna de Hans Friedrich Richard Monich e Karoline Amalia Anna Klaumann, e neta materna de Francisco Frederico e Emma Selke. 

……………………………3.5 Milton Treml, industriário, nascido em São Bento do Sul no dia 19.10.1931. Faleceu solteiro e sem filhos no dia 27.06.1992, tendo sido sepultado no Cemitério Municipal da cidade.

………………….2.3 Francisca Treml, nascida em São Bento do Sul aos 06.11.1900.

………………….2.4 Barbara Treml, doméstica, nascida aos 12.11.1905 e falecida aos 09.09.1949. Casou-se em São Bento do Sul no dia 25.04.1925 com Francisco Hinke, ferreiro, nascido no dia 05.12.1900, domiciliado e residente no lugar São Pedro, filho de Heinrich Hinke, de Polaum, e sua segunda esposa Rosalia Jungbäck, de Hammern, neto paterno de Johann Hinke e Agatha Hojer ou Heuer, e neto materno de Sebastian Jungbäck e Therezia Hoffmann. Tiveram geração conforme o título Hinke.

 ………………..2.5 Hedwiges Treml, nascida em São Bento do Sul aos 03.10.1908.

………………..2.6 José Treml, lavrador nascido em São Bento do Sul aos 03.08.1911. Residia na Estrada Rio Negro e casou-se na mesma cidade no dia 25.02.1933 com Francisca Bachel, doméstica, nascida aos 08.04.1911, residente à mesma estrada, filha de José e Francisca Bachel. José faleceu em São Bento do Sul no dia 28.08.1988 e foi sepultado no Cemitério Municipal. Sua esposa Francisca faleceu aos 30.11.1995, tendo sido sepultada no mesmo Cemitério. Tiveram: (continua)

Read Full Post »

SANTOS, Ernesto Venera dos. (Brusque, 11/05/1901 – São Bento do Sul, 05/04/1964). Prefeito Municipal de São Bento do Sul (1936-1937), vereador, chefe municipal da Ação Integralista Brasileira, professor, autor de peças teatrais, jornalista e livreiro. Foi também o 14º Presidente da Sociedade de Cantores 25 de Julho, entre 06/10/1929 e 25/10/1931. Escreveu peças teatrais como “O Carvoeiro Aleijado”, “Quanto é Bom Viver no Mato” e “O Ministro da Justiça”, que eram apresentadas por atores que faziam parte da Sociedade. Consta que foi autor de diversos livros, muitos dos quais perdidos. Foi também diretor-gerente do semanário “O Aço”, publicado pela primeira vez em 01/09/1936, além de ter sido diretor substituto do também semanário “Planalto”, pertencente ao Capitão Osmar Romão da Silva (ver), entre 10/02/1945 e 03/11/1946. Sucedendo o prefeito Eduardo Virmond (ver), Ernesto Venera dos Santos foi eleito de forma direta o Prefeito de São Bento do Sul em 1936, permanecendo no comando da cidade até 10/11/1937, quando o golpe de estado de Getúlio Vargas fez com que também ele acabasse deposto, cedendo o cargo a um novo mandato do Capitão Ernesto João Nunes (ver). Em meio às comemorações pelos 75 anos da Sociedade de Cantores 25 de Julho, cujos festejos aconteceram em 14/10/1956, Ernesto Venera dos Santos foi um dos que discursaram, relembrando o tempo em que foi presidente e também professor na escola do Km. 80. Entre 1956-1961, foi vereador, tendo sido eleito Presidente da Câmara, durante a gestão de Carlos Zipperer Sobrinho (ver). Casou-se com Anna Monich, filha de Richard Monich (ver) e Karoline Amália Anna Klaumann. O casal teve os filhos Flávio e Diva dos Santos. Recebeu em sua homenagem o nome de uma agremiação pré-escolar no Bairro Progresso, além de uma rua no Bairro 25 de Julho. Sepultado no Cemitério Municipal de São Bento do Sul.

Read Full Post »